Monday, 27 June 2011

A começar no Kennedy Center


Foto: mv
Começa hoje o meu estágio de um mês no Kennedy Center for the Performing Arts em Washington. O centro abriu em 1971, posicionando-se como uma organização que apresenta os melhores artistas e espectáculos norte-americanos e internacionais, que apoia novos trabalhos e jovens artistas e que é líder na formação em gestão cultural, no país e no mundo.

É o investimento do Kennedy Center nesta última área, a formação, que leva todos os anos a Washington profissionais da cultura de todo o mundo. Michael Kaiser, Presidente do Kennedy Center e fundador do DeVos Institute of Arts Management at the Kennedy Center, acredita que, para além da necessidade de apoiar o talento e a criação artística, é igualmente necessário formar bons gestores culturais, atentos e sensíveis às mudanças (sociais, políticas, tecnológicas, económicas) que afectam o sector cultural, capazes de criar planos estratégicos que poderão garantir a gestão saudável e eficaz das instituições que existem para apoiar a criação e torná-la acessível ao público.

O Summer International Fellowship (SIF), no qual irei participar, tem uma duração de três anos, sendo que os fellows passam um mês em cada um dos três anos no Kennedy Center, tendo a possibilidade de aprender junto de alguns dos melhores profissionais em planeamento estratégico, marketing, fundraising e gestão financeira. O estágio envolve seminários, masterclasses, projectos de grupo e individuais, integração nas equipas de vários departamentos no Kennedy Center, e uma série de eventos especiais, desde espectáculos a encontros com profissionais da área da gestão cultural e outras figuras influentes na área da cultura.

Os fellows do meu ano são pessoas provenientes de África, Ásia e Europa. Irei partilhar esta experiência com o Director Adjunto de Kuona Trust (Nairobi, Kenya); a Directora Executiva de Kwani Trust (Nairobi, Kenya); a fundadora de Made for Stage Productions (Karachi, Paquistão); o General Manager of Corporate Communications da Mahindra Foundation (Índia); o co-fundador, Director Executivo e Director Artístico de Evam Entertainment (Chennai, Índia); a fundadora e Directora de Siddharta Art Gallery e Kathmandu Contemporary Arts Centre (Kathmandu, Nepal); o Responsável pelas Relações Internacionais do National Ballet of China; a Directora de Dance UK; o Director Adjunto do National Centre of Folk Culture (Kiev, Ucrânia); o fundador e Presidente de ARS DOR Association (Chisinau, Moldávia); e a Directora de POGON – Zagreb Centre for Independent Culture and Youth (Zagreb, Croácia). Durante este mês que vamos estar no Kennedy Center iremos cruzar-nos e assistir a aulas comuns com os fellows dos dois anos anteriores. Trinta e seis participantes de trinta e dois países. O Kennedy Center investe em cada um deles, de nós, apostando na formação de bons gestores culturais em todo o mundo e, naturalmente, seus embaixadores.

É mesmo uma sorte e um grande privilégio poder participar no SIF do Kennedy Center. Esta vai ser uma grande aventura. Desejo, como é óbvio, aprender, aprender, aprender. Mas, nesta primeira fase em particular, desejo sobretudo que sejam desafiadas as minhas ‘certezas’.








2 comments:

o mundo me acolhe! said...

Maria, tive a oportunidade de assistir uma pequena conferência que ministrou na Universidade de Lisboa em maio deste ano, no âmbito da disciplina da professora Madalena Costa Lima. Parabéns pelo blog, além de compartilhar suas vivências nos faz refletir sobre dinâmica cultural na atualidade e gestão empresarial nos museus e demais equipamentos culturais. Obrigada por sua contribuição,

Luiza Barbosa

Maria said...

Cara Luiza, agradeco muito o seu comentario. Tambem gostei de estar convosco na universidade.